Compartilhe:

7 mitos populares que até alguns médicos acreditam

Você pode nesta matéria tirar suas dúvidas sobre 7 mitos populares que até alguns médicos acreditam, confira!

Publicado por: Cida Ramos

sete-mitos-crendices-populares-que-ate-medicos-acreditam-desvende-fatos-capa

A cultura popular é carregada de mitos, “crendiçes”. A maioria é inofensiva. Mas quando os médicos começarem a acreditar mitos médicos, talvez seja hora de se preocupar.

Um estudo publicado na Grã-Bretanha, em 2007, levantou uma questão que preocupa os profissionais da área: mitos e ideias do senso comum, a respeito de saúde, que romperam a esfera da crença popular, e até os médicos passaram a acreditar. Confira sete destes mitos:

 Veja então a verdade dos fatos sobre estes 7 mitos populares  que até alguns médicos acreditam

1 –Mito: CELULARES SÃO PERIGOSOS EM HOSPITAIS

Fato: Foi comprovado que os telefones celulares em funcionamento afetam cerca de 4% dos equipamentos de hospital, mas só se estiver a menos de um metro de distância do aparelho. Caso contrário, não há nenhum dano em usar o celular no ambiente hospitalar. Um estudo recente vai ainda mais longe: 300 testes foram feitos com celulares em mais de 75 salas de tratamento médico, e não houve uma interferência sequer.

Um estudo mais recente, este ano, não encontrou nenhuma interferência em 300 testes em 75 salas de tratamento. Ao contrário, quando os médicos usam celulares, a melhoria da comunicação significa que cometer menos erros . “Sempre que falamos sobre este trabalho, os médicos em descrença expressa primeira vez que essas coisas não são verdadeiras”, disse Vreeman . “Mas depois que cuidadosamente  fazer os estudos, e constatarem a evidência médica, eles estão muito dispostos a aceitar que essas crenças são realmente falsas.”

2 – Mito: As mulheres com doença cardíaca são mais propensas a terem bebês meninas, diz estudo

mito

Fato: A razão para a razão sexual enviesada entre bebês nascidos de mulheres com doença cardíaca não é conhecido. Os pesquisadores, da Universidade de Tabriz, no Irã, disseram que esperam que seu estudo estimula investigação adicional sobre o link. O estudo foi apresentado hoje (dia 20) no Congresso Mundial de Cardiologia, em Dubai.

As mulheres grávidas com doença cardíaca têm maior probabilidade de dar à luz a meninas do que meninos, segundo um novo estudo do Irã.O estudo envolveu 200 mulheres grávidas diagnosticadas com doenças cardíacas que foram encaminhados para um centro do coração para a entrega. Das 216 crianças nascidas dessas mulheres, 75 por cento eram do sexo feminino.
O número de meninos nascidos em qualquer população humana deve ser semelhante ao número de meninas nascidas, mas a relação de menino para menina em um determinado país pode variar dependendo das práticas de seleção de sexo . No Irã, cerca de 105 meninos nascem para cada 100 meninas, segundo a Agência Central de Inteligência. No estudo de doenças do coração, 32 meninos nasceram para cada 100 meninas.

3 –Mito: Ler no escuro prejudica a visão

mito3

Fato: Os pesquisadores não encontraram nenhuma evidência de que a leitura com pouca luz provoca danos permanentes nos olhos. Ele pode causar cansaço visual e acuidade temporariamente menor, o que desaparece após o repouso.

Poucos mitos foram tão difundidos quanto a ideia de que ler com baixa luz no ambiente “força a vista”. Mas também não existe nenhum indício científico de que possa haver algum dano permanente. No máximo, os olhos ficam cansados pelo esforço, mas após uma noite de sono já estão prontos para outra.

4 – Mito: O ser humano só usa 10% de sua capaciade cerebral

Fato: O mito provavelmente originou-se com auto-aperfeiçoamento vendedores ambulantes no início de 1900 que queriam convencer as pessoas que ainda não tinha atingido o seu pleno potencial.
Ressonâncias magnéticas e tomografias computadorizadas vasculham minuciosamente cada setor do cérebro. E garantem que não existem partes inativas dentro de nossa caixa craniana, muito menos 90% de toda essa massa.

Até um exame detalhado, neurônio por neurônio, não detecta pontos inutilizados em nosso cérebro.

5 –Mito: Unhas e cabelos ainda crescem após a morte

mito5

Fato: A maioria dos médicos consultados sobre este mito perceberam que é impossível. Eis o que acontece: “Como a pele do corpo está secando, o tecido mole, especialmente da pele, é retrair”, disse Vreeman. “As unhas são muito mais proeminentes, como os a pele seca. O mesmo é verdade, mas menos óbvio, com o cabelo. Como a pele está encolhendo, o cabelo parece mais proeminente ou fura um pouco.”

Então, isso é fisicamente impossível. A impressão que temos ao ver um cadáver de unhas e cabelos e compridos é devido à pele. Após a morte, o tecido da epiderme se retrai e encolhe, o que deixa cabelos e unhas em evidência.

6 –Mito: Devemos beber no mínimo dois litros de água por dia

mito6

Fato: “Não há nenhuma evidência médica para sugerir que você precisa que muita água”, disse o Dr. Rachel Vreeman, um bolseiro de investigação pediátrica na universidade e co-autor do artigo de jornal.

Uma das clássicas receitas para a boa saúde é manter a hidratação, bebendo no mínimo dois litros de água por dia. Não existe, no entanto, nenhuma evidência médica de que precisemos de uma dose tão alta assim.

O necessário são dois litros de fluído, mas nessa conta também entram quaisquer outras bebidas, além de frutas e verduras, o que diminui a exigência de água.

7 – Mito: Raspar os pelos os faz crescer mais rápido, duros e crespos

Fato: Já em 1928, um estudo resolveu fazer a comparação entre pelos raspados frequentemente e pelos deixados por fazer, e descobriu que não existe diferença nenhuma.
O que dá essa impressão é o fato de que as frequentes raspagens vão paulatinamente desgastando apenas as pontas da barba. Quem não deixa crescer muito e só costuma ver a ponta da barba acaba achando que ela está crescendo mais grossa. Isto porque o fio que quando grande se torna mais afinado nas pontas, quando raspado diariamente é cortado pelo meio onde costuma ter mais corpo e dá a impressão de ser mais grosso justamente por isso.

Eu até achava que alguns desses mitos fossem verdade, e você?

Fonte:http://www.livescience.com/health

Recomendado para você

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *