Compartilhe:

Blazer e Paletó: Descubra a diferença entre eles e aprenda a usar cada peça de maneiras diferentes

Descubra quais são as diferenças entre o paletó de um terno e o blazer e aprenda a usá-los adequadamente.

Publicado por: Cida Ramos

blazer

Uma peça tradicional pode ser usada de maneiras diferentes do habitual, como é o caso da camisa branca e da calça social. Esta semana, vamos falar sobre o blazer. Para ajudar a entender como escolher e usar sem erros seu modelo. O que se pode dizer é que o blazer é mais casual, diferente do paletó que é formal e faz parte do costume (paletó+calça) ou terno (paletó+calça+colete), ambos [costume e terno] com a mesma padronagem e tecido.

De uma forma geral, um paletó pode se transformar num blazer se usado com calças de diferentes padronagens, porém, um blazer nunca vai virar um paletó. Existem blazeres mais clássicos, como o azul-marinho, que combina com calças de alfaiataria a calças jeans e podem ser usados o ano todo, e os xadrezes de lã, próprios para o inverno e mais esportivos, ótimos para usar com calças jeans, chino e veludo.

Um blazer é composto das seguintes partes e cada uma delas tem características específicas que devem ser levadas em conta na hora de comprar um blazer:

1. Lapela: mesmo que a moda indique uma tendência para lapelas mais estreitas, a gola do blazer deve ser escolhida de acordo com o tipo de corpo. Exemplo: se você tiver um peito grande, escolha uma lapela média ou mais larga. Se ao contrário, você é magro, opte pelas lapelas mais finas.
2. Manga: ela deve ultrapassar apenas um pouco o ossinho do pulso, deixando aparecer o punho da camisa. O comprimento da manga do blazer costuma ser um pouco mais curto do que o do paletó, mas é o tipo de ajuste que pode ser feito na maioria das lojas onde são encontrados blazeres prontos. No caso do blazer feito sob medida por um alfaiate, esta é uma decisão que é levada em conta na hora em que se tiram as medidas.
3. Ombros: quando experimentar um blazer, ele deve encaixar bem nos seus ombros, já que é uma parte que não pode ser ajustada. Comprimento de ombro muito curto vai prejudicar seus movimentos, assim como se a cava do blazer for maior que seu ombro, vai comprometer o caimento do blazer.
4. Comprimento: deve ficar um pouco abaixo da base das nádegas. Na hora de experimentar, use a mão levemente fechada para saber o comprimento exato. Os dedos devem encostar levemente na barra. No blazer a barra pode ser um pouco mais curta que um paletó, principalmente nos modelos mais esportivos e voltados para um público mais jovem.
5. Silhueta: evite modelos muito quadrados, preferindo aqueles mais acinturados. O ideal é que o blazer defina melhor sua silhueta, porém sem que fique apertado demais. Leve em consideração o tipo de corte na parte de trás do blazer. Tem os modelos com um único corte central, mais tradicional. Observe esta parte parado, porque o corte não deve ficar aberto demais. Neste caso, não é o modelo ideal para você. Prefira então os modelos com dois cortes laterais, um de cada lado.
6. Abotoamento: os brasileiros preferem os modelos de três botões porque alongam a silhueta, mas o modelo mais em evidência hoje em dia e o que combina bem com o espírito casual do blazer é o de dois botões. A versão de um botão é uma ótima opção para os blazeres de inverno em lã de padronagem xadrez.
Muitas marcas ensaiam a volta do jaquetão, mas ainda não pegou de fato. Lembre-se sempre da regra de abotoamento: o último botão localizado na parte de baixo, tanto nos modelos de três ou dois botões, nunca deve ser abotoado.

Uma dica geral é que dá para saber se um blazer está bem feito ou não é observar se não há dobras no meio das costas ou se a costura central não se deforma, formando um pequeno “s”. Estes são sinais claros de que o blazer tem problemas de modelagem. O caimento na parte de trás deve ser uniforme e sem nenhum tipo de vinco ou dobra. Os especialistas recomendam o uso de tecidos com fibras naturais na confecção da peça: no Brasil, onde mesmo no inverno dificilmente faz muito frio, o mais indicado é a lã fria super tropical e os tecidos de lã fria importados

Fonte:UOL

Recomendado para você

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *