• Curta nossa página
  • Siga-nos no Twitter
  • Encontre-nos no G+
  • Pinterest
  • Receba novidades no seu e-mail

Cabelo longo depois dos 40 anos: Você corta ou assume suas madeixas?

Por: Cida Ramos

O cabelo para mulher é uma questão muito pessoal, e quem deve decidir é você mesma. Se seu cabelo é bonito, bem tratado, se você fica bem com cabelos compridos não é uma regra ter que cortar o cabelo por causa da idade. Use o seu bom senso acima de tudo, leia a matéria com as dicas e fotos e inspire-se nas famosas!

cabelo-comprido-depois-dos40-pode-sim-moda-beleza-capa

Você poderá gostar de:

Look para o trabalho, happy hour e balada!
A moda são os cabelos com textura!
Corte cabelo com franjas :O corte feminino que nunca sai de moda
Cabelos com ondas anos 70 estilo Farrah Fawcett é tendência de moda

40 anos, e agora? é hora de cortar os cabelos ou assumir a madeixa longa?

Demi Moore, Sandra Bullock, Sarah Jessica Parker, Catherine Zeta-Jones e Nicole Kidman, todas elas são atrizes lindas, que assumem ter mais de 40 anos, embora não pareça. O que mais elas têm em comum? Todas têm cabelão comprido, contrariando uma antiga regra equivocada de que a maturidade combina mais com madeixas curtas. Se você chegou aos 40 e não sabe que visual adotar, confira nossas dicas. 

Na verdade, se pararmos para pensar com calma, 40 anos é pouco, muito pouco diante da expectativa de vida cada vez mais crescente. Hoje, uma pessoa com 40 anos viveu metade da vida, isso se pensarmos a curto prazo. Então, abrir mão do comportamento jovem tão cedo não faz sentido algum. 

Ou seja, evitar usar cabelo longo e sensual só é necessário para quem vai se sentir melhor assim. Caso contrário, esqueça a tesoura. “O cuidado é ficar atenta ao envelhecimento do fio, que perde o movimento, a cor e um pouco da textura. Então, dependendo da qualidade da madeixa, talvez seja bom deixar na altura do ombro. Se a sobrancelha perdeu a cor e a pele ficou mais manchada, aí clarear ajuda muito a rejuvenescer, porque marca menos as imperfeições”, diz o cabeleireiro Denylson Azevedo, do salão Theo Carias.

Já o cabeleireiro Augusto Henrique, do Franck Provost Brasil, concorda com a perda da qualidade do fio como fator decisivo para cortar ou não o cabelo. “Indico para mulheres com 40 anos ou mais que deixem os cabelos mais curtos e mais claros, porque o loiro disfarça as linhas de expressões e o curto rejuvenesce. O cabelo branco não tem pigmentação por isso tem um aspecto ressecado. Com um bom corte, mais curto e mais claro, fica elegante e mais jovial”, diz. 

Por outro lado, os cabelos longos, se estiverem muito bem cuidados, também ajudam a disfarçar as rugas que começam a aparecer no pescoço e enfeitam o rosto. Vejam os exemplos das atrizes que preferiram manter o cabelão e continuaram com um visual jovem. É o caso de Demi Moore, Courteney Cox e Kristin Daves. 

Uma coisa é certa, assim como a pele, o cabelo também envelhece. Segundo o tricologista Valcinir Bedin, este envelhecimento é chamado de cronológico. “Há uma redução na produção de sebo e uma diminuição da microcirculação e das trocas celulares entre o couro cabeludo e os cabelos”, explica. 

Como resultado, os fios ficam mais finos, sem vitalidade e brilho e mais ralos. “Para você ter uma ideia, uma mulher, quando criança, tem mais ou menos 600 fios por cm² e, se chegar aos 80, terá mais ou menos 300”, afirma Bedin. O couro cabeludo também sente os efeitos dos anos, ficando mais sensível às agressões externas, como sol, água muito quente e tratamentos químicos. 

O cabelo envelhece, mas com cuidados é possível retardar este efeito. “Recomendo o uso de produtos adequados ao seu tipo de cabelo, de produtos para hidratar e também para proteger contra os raios UV, além de moderação na hora das químicas”, ensina o tricologista. 

Se o seu cabelo já está enfraquecido, seja pelo tempo ou por processos químicos, o hairstylist Nilton Tamba recomenda hidratações periódicas e cauterizações. “Hoje em dia, também é possível encontrar nos salões tratamentos específicos, como um programa de lifting capilar que combate o envelhecimento do couro cabeludo e ajuda a devolver a juventude dos fios”, acrescenta Nilton. 

Para usar em casa, existem os chamados produtos anti-idade, que ajudam, principalmente, na prevenção do envelhecimento. “Se você mantiver seus cabelos sempre hidratados, protegidos do sol e, com o passar dos anos, usar os chamados shampoos anti-idade, que repõem nutrientes e proteínas perdidas, o envelhecimento pode, sim, ser retardado”, afirma Nilton. 

Com essas dicas e cabelos bem cuidados, não há motivos para que você, mesmo depois dos 40, não opte pelos fios compridos, afinal, cabelão longo e maturidade combinam, sim!

O CORTE IDEAL

PARA AS OUSADAS

Quer um cabelão igual ao da modelo Gisele Bündchen, ondulado e no estilo selvagem? Vá em frente, como fez Luiza Brunet.

PARA AS CLÁSSICAS

Aposte no semilongo, dois dedos abaixo do ombro. É o comprimento ideal para as

Comentários