Compartilhe:

Casamento tradicional: 7 tradições para você manter ou quebrar

O casamento tradicional tem um ritual a ser seguido, veja qual é!

Publicado por: Cida Ramos

cirgbroazn6qn7g3e97jjxq3z

Vestido longo, lua de mel na sequência e despesas assumidas pelos pais da noiva? Esqueça. É possível fazer tudo diferente

Você poderá gostar de: 

Casamentos: Finger foods
Coctel de casamento – Como organizar
Casamento: Recepção – Jantar Completo
Festa casamento – Saiba Como organizar um Brunch
Casamento com recepção simples para casamento: Bolo com Champanhe
Festa de casamento: Veja como economizar sem perder a classe

 

A cerimônia e a festa de casamento são repletas de tradições, simbolismos e “pequenas regras” que tradicionalmente fazem parte de todo o cerimonial. Mas quem disse que essas regras não podem ser quebradas? Listamos sete tradições que podem ficar para trás – basta você querer.

1. O vestido da noiva deve ser longo

O vestido ideal é aquele em que você se sente bem. Noivas modernas têm optado por vestidos curtos e com cortes cheios de estilo. Outra opção é usar um vestido comprido para a cerimônia e uma versão mais curta do mesmo vestido para a festa – foi o que fez Giovanna Ewbank em seu casamento com Bruno Gagliasso. Mas fique atenta às regras de cada igreja. Afinal, você não quer fazer seus votos sob um olhar de censura do padre.

2. O lado da noiva e o lado do noivo devem ser separados

Antigamente, convidados da noiva sentavam-se no lado esquerdo e os do noivo do lado direito. De acordo com a organizadora de casamentos Márcia Possik, hoje essa divisão não existe mais. “Os convidados normalmente se sentam no lugar que preferirem”, diz. Mas é sempre bom lembrar que avós e familiares muito próximos têm preferência nos primeiros lugares.

3. Os pais da noiva pagam pela cerimônia

Hoje em dia, as contas são divididas pelo bom senso. Pais de ambos podem contribuir, e muitas vezes os próprios noivos assumem parte das despesas, ou todas elas. “A maioria dos noivos divide. Mas é um acordo deles”, fala Possik. Existem alguns benefícios dos noivos dividirem a conta, como aponta a organizadora Emanuelle Missura. “Quando se paga o próprio casamento, é possível ter o controle sobre tudo, principalmente da lista de convidados”, diz. Por isso, se você prefere contar com o mínimo de interferência possível, aperte o orçamento para assumi-lo e fazer o casamento do seu jeito.

4. Todos seus convites devem incluir um acompanhante

 Se você tem alguns convidados solteiros que já se conhecem – um grupo do trabalho, por exemplo – não há problema algum em convidar apenas eles próprios, sem o tradicional “+1”. “Como você vai convidar alguém que nem conhece?”, questiona Emmanuelle Missura, referindo-se ao acompanhante do seu convidado – que é sempre uma surpresa. No entanto, ao chamar aquele seu amigo de infância que só tem contato com você, vale abrir uma exceção e deixá-lo à vontade para trazer um acompanhante.

5. Sua lista de presentes deve ter apenas coisas para a casa

Hoje em dia, casais que já moram juntos (ou que fazem questão de escolher cores e detalhes de sua aparelhagem doméstica) preferem cotas de lua de mel, doações para ONGs ou até presentes que nenhuma avó imaginaria ganhar no casamento, como livros e DVDs.

6. Você só pode ver o noivo na hora da cerimônia

A máxima que diz que a noiva só pode ser vista pelo noivo na hora do altar não provoca nada além de caras de surpresa (e eventuais pequenas decepções) que vão ficar registradas na foto. Azar? Nem pensar.

7. A lua de mel tem de vir logo depois da festa

Você e seu noivo podem ter quantas luas de mel quiserem – e podem partir para uma viagem a dois muitas outras vezes, ao longo dos anos de casados. Além disso, a lua de mel logo depois da recepção gera uma série de problemas logísticos: você terá de se preocupar não só com o casamento, mas também com malas, passaportes e planejamento de uma viagem logo após o grande dia. Por isso, se preferir curtir a lua de mel um mês – ou um ano – depois, não se cobre.

 Fonte: http://delas.ig.com.br

Recomendado para você

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *