Como cultivar orquídea Phalaenopsis

Hoje vamos mostrar como fazer para cultivar orquídea Phalaenopsis, uma orquídea linda, que tem floração que dura por 3 meses e ainda pode florir várias vezes por ano em alguns casos.

Publicado por: Cida Ramos

Hoje vamos mostrar tudo sobre como cuidar, como cultivar orquídea Phalaenopsis. Vamos falar respeito de rega, manutenção, como adubar, fazer mudas e tudo para cuidar adequadamente da sua orquídea e deixá-la linda a saudável.

Você já deve ter visto, ou ganhou de presente uma orquídea Phalaenopsis. Ela é muito comum nas floriculturas e receber uma de presente costuma ser frenquente. E muitas vezes a pessoa não sabe como cuidar depois que a recebe. Então você não precisa sair por ai procurando como cultivar orquídea Phalaenopsis, veja nossa matéria!

Se esse for o seu caso, se você ganhou de presente ou se encantou e adquiriu uma e quer saber como cuidar, veja nossas dicas para cuidar da sua orquídea Phalaenopsis, e ter bons resultados com ela.

Veja também:

Como adubar orquídeas com todos os tipos de adubos

Como dividir e replantar orquídeas

Características

Apresentam caule praticamente nulo com folhas largas e suculenta, onde é armazenada sua reserva nutricional, é monopodial, ou seja de crescimento sucessivo, possui raízes longas, grossas e flexíveis.

Sua floração ocorre a partir de uma haste que parte de seu caule e desenvolve suas flores no decorrer da mesma.

Phalaenopsis possuem um período de floração de três meses, que é bem maior que outros espécimes, sendo excelente opções para decorar o ambiente. Elas são originárias da Ásia Tropical, por isso, se dão melhor em climas quentes, como boa parte do Brasil.

Embora aceitem quase todos os tipos de clima, os Phalaenopsis preferem climas mais quentes, sem temperaturas extremas, onde se desenvolve melhor e com maior rapidez.

Este gênero não suporta muito frio, em temperatura inferior a 17° C, ela não irá se desenvolver, ou terá seu crescimento lento e sem flores. Ao contrário da Dendobrium, que florece apenas em clima ameno.

Como cultivar orquídea Phalaenopsis

Substratos

A primeira coisa a fazer antes de cultivá-la e pensar no substrato, que pode ser composto por fibra de coco destratada, casca de pinus, carvão, casca de arroz carbonizada, semente de açaí carbonizada ou até mesmo uma mistura deles. Deve ser mantido levemente úmido, não devendo ser encharcado, caso isso aconteça suas raízes apodrecerão e a planta morrerá.

Importante: Todo o substrato deve ser esterilizado, para isso você pode ferver por 10 minutos ou deixá-lo imerso em água sanitária por 25 minutos e enxaguar bem, retirando todo o vestígio da água sanitária. Isso garantirá que o produto químico não queime as raízes. A esterelização é necessária para: pedra brita, casca de pinus, semente de açaí…

Não utilize terra. São poucas as orquídeas de terra e a Phalaenopsis não uma delas! Ela precisa de substrato grosso, pois retém pouca umidade.

Como escolher o melhor vaso para orquídeas phalaenopsis

Pode até não parecer, mas existe um vaso especifico para cada tipo de orquídea. Isto não quer dizer que você tem que comprar aquele determinado vaso para plantar sua epífita. Nada disso. Mas aquela espécie crescerá mais saudavelmente se tiver em um recipiente apropriado. Geralmente, os aspectos a serem levados em conta na escolha de um vaso é o clima da região, substrato utilizado, tempo disponível e também a espécie cultivada. Existem inúmeros tipos de vasos, como de barro, plástico em cores, plástico transparente e também caixas de madeira.

Phalaenopsis: Como esta espécie faz fotossíntese pelas raízes, é mais apropriado vasos transparentes.

Outras orquídeas…

Cattleya: Se desenvolve bem em vasos de barro, plástico e caixas de madeiras.

Dendrobium e Oncidium: Estas duas espécies podem ser cultivadas em qualquer vaso. Mas é bem viável em vaso de plástico.

Deixe sua orquídea segura

Para que sua orquídea tenha um bom desenvolvimento, ela precisa se sentir segura no local onde está. Portanto, se certifique se a planta não está balançando dentro do vaso, ela precisa estar bem fixada ao substrato.

A cada um ano e meio ou dois anos é importante trocar o substrato, pois ele acaba ficando ácido e sem nutrientes para alimentar a planta.

Local – Luminosidade

Cuidar de sua Phalaenopsis é fácil, basta ter ambiente com boa luminosidade e sem a incidência de luz direta do sol, pois suas folhas são sensíveis ao sol e podem ficar queimadas após algumas horas de exposição ao sol intenso. Lembrando que ela não precisa de sol para crescer e florescer, apenas de luminosidade.

Escolha um local bem iluminado e ventilado. Bem iluminado não é o mesmo que receber sol, é apenas bem claro. Ventilado não é receber vento, mas o contrário de abafado.

Dentro de casa ou em apartamentos, o local ideal é perto de uma janela. Essa é toda luminosidade que ela precisa!

Pode ser colocada em árvores, sob a sombra de sua copa. Por isso, é importante que você observe a posição do sol antes de fixá-la nos troncos. Observe qual o lado não recebe sol ou qual recebe apenas o sol até às 9h da manhã. Este é o local de fixá-la!

Nos lados que receberem mais horas de luz solar direta, você pode ficar o gênero Oncidium, que suporta mais o sol direto, mas sol em excesso pode prejudicá-la, ou seja, o dia inteiro, não é bom para nenhuma orquídea.

Regas

A orquídea Phalaenopsis, como a maioria das orquidáceas, se desenvolve bem com boa umidade ambiente no substrato em vaso ventilado (vasos com furos nas laterais, mas nunca encharcado. Regas uma vez ao dia, preferencialmente no amanhecer ou entardecer.

É importante lembrar que no caso da Phalaenopsis as folhas não devem ser molhadas, pois a umidade excessiva danifica a folha, fazendo-as cair. Dê preferência a fazer a rega pelas raízes, borrife água ou qualquer tipo de adubo liquido na base da planta, nunca nas folhas para não acumular água.

Este é o grande segredo das orquídeas Phalaenopsis, acertar o número de regas que ela  precisa receber. Se você aguar demais, as raízes e folhas apodrecem e a planta morre. Se aguar de menos, ela irá ressecar e morrer. Mas é mais fácil você matar uma orquídea pelo excesso de água do que pela falta dela.

Para iniciar, no verão, regue sua planta a cada 3 ou 4 dias. No inverno, uma vez a cada sete dias. Como é comum a chuva no inverno, para orquídeas que ficam sem proteção da chuva, ou seja, ao tempo, sempre que chover você deverá recomeçar a contagem.

Ex: Você molhou no sábado, pela contagem somente terá que molhá-la novamente no sábado seguinte, mas se chover na quarta-feira, você irá recomeçar a contagem de 7 dias, a partir da quinta-feira. Desta forma, a próxima rega deverá ser na quarta-feira posterior a quarta chuvosa.

Esse intervalo pode ser diferente, pois depende também do clima. Por exemplo, em Brasília é mais seco que em Minas Gerais, então o intervalo de rega não poderá ser o mesmo.

O importante a saber é que você deverá molhar apenas quando o substrato estiver seco, se estiver úmido, verifique dois dias depois.

Mas como verificar se está úmido?

Coloque o dedo no canto do vaso e enfie até a metade dele, você sentirá como está a umidade no meio do vaso. Às vezes em cima o substrato está seco, mas no meio está úmido.

Ela gosta de umidade e não de ficar muito molhada. Em outras palavras, ela gosta do substrato levemente úmido.

Procure não molhar muito as folhas e principalmente não deixar água acumulada na base delas, principalmente em dias mais frios, pois isto pode facilitar o desenvolvimento de fungos e bactérias que podem matar a planta em poucos dias ou semanas.

Nos dias mais quentes, você poderá regar a planta pela manhã ou final da tarde, e pulverizar o ambiente no decorrer do dia, deixando o chão mais úmido.

Importante: Nunca deixe sua orquídea com pratinho embaixo do vaso. A água acumulada ali irá apodrecer as raízes de sua planta.

Adubação

Existem muitos tipos de fertilizantes que você pode usar na sua orquídea, mas o mais recomendado é o tipo Peters. Trata-se de um pó azul, borrifado com cuidado na base da planta para não acumular água  no substrato. Use uma vez por semana, sempre nas horas de sol mais fraco, de manhã cedinho ou no final da tarde. Voltamos a lembrar que no caso da Phalaenopsis as folhas não devem ser molhadas.

Adube quinzenalmente, mas mantenha sempre este período de uma adubação para outra. O que ela não gosta é de receber adubo hoje, daqui a quinze dias, 3 meses depois. Sem um intervalo contínuo. Ela quer receber a cada quinze dias, ou a cada mês, mas o intervalo deve ser uniforme.

Tipos de adubos para cada fase da orquídea

Adubo de manutenção

Na adubação de manutenção e crescimento há quem faça o uso de adubo cristalizado solúvel em água e que deve envolver além dos micronutrientes já incorporados na fórmula química, os macronutrientes N-P-K na proporção 10-10-10 ou 20-20-20.

Para floração

A Phalaenopsis apresenta flores vistosas, coloridas, que variam do branco ao vermelho, passando pelo amarelo, creme-esverdeado, roxo, estriadas e incontáveis nuances de cores, pintalgadas ou não, principalmente nas espécies híbridas, plantas mais usadas para embelezar interiores. As flores da Phalaenopsis chegam a durar 3 meses, ao contrário de outras que duram dias ou poucas semanas.

A floração ocorre mais na época do inverno, a queda de temperatura induzirá a formação da haste floral, mas como o ser humano adaptou ambientes e espécies para ter florações durante o ano todo, a sua orquídea pode florecer em outras épocas. E é comum ver Phalaenopsis com duas ou três florações durante o ano.

Para floração a composição muda para reforço maior em Fósforo (P) e pouca coisa a mais em Potássio (K)– válido para a maioria das orquídeas – na fórmula 10-30-20. Se na região onde você residir não tem a fórmula com esses valores, não é problema, compre o que encontrar desde que tenha proporção parecida ainda que apresente esses números reduzidos (aliás é o que mais encontramos no interior do Brasil nas lojas de jardinagem ou produtos agropecuários).

Adubação orgânica composta pela mistura de torta de mamona substituindo o Nitrogênio (ureia) químico (N), a farinha de osso ou de ostras substituindo o Fósforo(P) e cinzas de madeiras diversas no lugar do Potássio (K), são excelente variante de adubação para orquídeas.

Apesar de orgânico, esses componentes devem ser usados com a mesma cautela ou cuidado quando usamos adubação química, tendo em consideração que o ideal é usar em quantidade mínimas ou homeopáticas a fim de evitar danos à sua planta.

Exemplificando: Se no folheto ou modo de usar do frasco diz uma colher de chá para um litro de água, diminua para uma colher de café, ou naquela quantidade maior, aumente em três vezes a quantidade de água, guardando em frasco plástico fechado (garrafa pet por exemplo) e com essa água molhe a planta uma vez ao dia, até que essa solução nutricional acabe. Lembre-se apenas de agitar o frasco antes do uso. Agindo assim a orquídea não terá problema de super dosagem e intoxicação.

Adubo para enraizamento

ADUBO 08-45-14- É usado para floração e enraizamento.

Adubos hidrossolúveis

Os adubos conhecidos como foliares (químicos ou hidrossolúveis) são aqueles para serem dissolvidos em água. Geralmente são vendidos em grãozinhos parecidos com sais de banho.

Devem ser aplicados em intervalos de 15 dias, ou no máximo uma vez ao mês. Se você tem a possibilidade de adubar de 15 em 15 dias, faça isso, sua planta ficará mais saudável. Aplicar uma vez no mês é melhor do que não aplicar adubo! Intervalos superiores, não são indicados, pois haverá deficiência de nutrientes.

Use este tipo de adubo sempre diluído em água, conforme a orientação do fabricante, pois é bastante concentrado e se usado direto, sem diluição, pode queimar a orquídea e até levá-la à morte.

Com preparar o adubo solúvel

  1. Pegue um filtro de café, coloque na boca da garrafa, coloque a quantidade do produto depois passe junto com a água.
  2. Faça isso para não ficar produtos entupindo o buraco do borrifador.
  3. Depois borrife nas raízes ( no caso da Phalaenopsis as folhas não devem ser molhadas). Passe pela manhã antes das 9 ou à tarde depois das 16 horas. Passe a primeira vez, depois de 15 minutos repita a borrifada. No caso das outras orquídeas pode ser nas folhas.
  4. Em plantas com flores não adubar as flores, ou seja não aplique o adubo diretamente na flor.

Veja também:

Como adubar orquídeas com todos os tipos de adubos

Como aplicar em que hora do dia?

Deve-se aplicar pela manhã antes das 9:00 horas, ou à tarde depois das 16:00 horas. Deve-se aplicar com o borrifador em toda planta, folhas e raiz.

Depois de fazer a primeira aplicação espere 15 minutos e reaplique.

Haste Floral:

Uma dúvida comum é o que fazer depois da queda das flores. Corte acima do terceiro nó uns quatro centímetros, depois disso podem surgir uma nova haste do segundo ou terceiro nó presenteada com outra floração.

Corte ou pode sua orquídea apenas para retirar flores murchas, folhas mortas, secas ou com doenças e as hastes florais já secas. Utilize preferencialmente um tesoura de jardinagem pequena e bem afiada, sempre esterilizada com fogo a cada novo corte para evitar contaminações.

Veja abaixo como contar e onde contar:

Evitando doenças:

Sempre que utilizar qualquer tesoura na orquídea, é importante esterilizá-la em fogo até que o metal fique com a cor alaranjada ou deixando na água sanitária pura por 25 minutos. É preciso esterilizar o material sempre de uma planta para outra, pois desta forma você evita o transporte de doenças e fungos.

O substrato deve ser de boa procedência e sempre deve estar escrito esterilizado no rótulo, pois substrato sem esterilização, facilita a entrada de doenças pelas raízes da planta e a maioria destas não tem cura.

Deixe um espaçamento entre as suas orquídeas, 20 cm é o ideal, assim, uma praga ou doença não passará de uma folha para outra.

Muda de orquídea Phalaenopsis

A Phalaenopsis precisa ser trocada de vaso?

Não! O crescimento dela é para cima, então, depois de adulta, nunca precisará trocar de vaso. Somente enquanto é “filhote”, trocará de vaso, depois que chegar ao seu tamanho adulto, o transplante deverá ser só de substrato e nunca de vaso.

Só deverá ser feita a troca, caso o vaso esteja danificado, mas se for o caso, trocará por outro vaso do mesmo tamanho.

Como fazer mudas a partir dos keikis

Os Keiki, que aparecem nas astes florais, se a sua orquídea tem uma aste com uma mudinha, até mesmo com uma raiz junto, significa que é um keiki e essa muda rouba floração da sua orquídea, então ela deve ser transplantada para outro vaso e virar outra planta. Assim você vai ter uma aste que pode florir novamente.

O keiki é uma folha com uma raiz junto, se ela tiver uma raiz com 3 perninhas com mais ou menos o tamanho dos seus dedos, você pode destacar a folha junto com essa raiz e replantá-la no vaso.

As orquídeas Phalaenopsis costumam nos presentear com uma nova floração na mesma haste floral onde tenha tido floração anterior, soltando nova inflorescência nos nódulos velhos (ou gemas), por isso, mesmo depois da floração recomenda-se não cortar a haste até que ela esteja totalmente ressecada.

Como incentivar novas mudas ou Keikis

Borrifar solução de água filtrada com complexo vitamínico B ou hormônio enraizador (tiamina de boro ou 2 comprimidos de Benerva esmagados e dissolvidos num litro de água – e ácido giberélico). Com o tempo poderá surgir novas mudas nos nódulos dessa haste. Somente destacar as novas mudas quando estas estiverem com as folhas duplas crescidas e apresentando enraizamento, replantando-as conforme já explicado acima.

Muitos orquidófilos usam canela em pó colocada na palma da mão e soprando-a sobre as raízes das Phalaenopsis, visando proteção contra fungos e bactérias, e dizem, obtendo melhor floração com a planta mais saudável.

Fonte de pesquisa: cynthiablanco.blogspot.com.br / floresiflores.blogspot.com.br / orquideassemmisterio.blogspot.com.br

Espero que tenham gostado da matéria, deixe o seu recado e obrigada pela visita 🙂

Veja também:

Como cultivar orquídea Cattlheyas 

Veja também

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *