Como dividir e replantar orquídeas

Veja nesta matérias dicas e o passo a passo de como dividir e replantar orquídeas de todos os tipos.

Publicado por: Cida Ramos

Que tal multiplicar as próprias orquídeas? Quem ama essa espécie de planta sabe que elas têm um ciclo de crescimento muito lento e que por isso, cultivá-las duplicando é uma boa opção para ter mais plantas sem precisar compra-las. Hoje você vai ver como dividir e replantar orquídeas de todos os tipos.

Alguns critérios devem ser observados na hora de replantar ou dividir sua orquídea, mas não é tão difícil assim.  Seguindo os cuidados necessários, usando a técnica correta, dá sim, para ter novas orquídeas lindas e saudáveis.

Muitas pessoas me perguntam como dividir ou replantar orquídeas, como dividir para formar nova planta e quando é a hora de fazer isso. E tudo isso e muito mais você vai ver nessa matéria com dicas e fotos.

Uma forma de multiplicar a sua orquídea é através da divisão da planta adulta. Nesta postagem vou explicar os cuidados que devemos ter nesta divisão.

Primeiro antes de falar da divisão precisamos saber sobre o crescimento das orquídeas, pois nem todas precisam ser replantadas ou podem ser divididas.

 

Veja também:

Como cultivar orquídea Cattleya

Como adubar orquídeas de todos os tipos

 

Os tipos de crescimento das orquídeas – Simpodial e Monopodial

Existem dois principais tipos de crescimento: simpodial e monopodial. Dentre elas uma não pode ser dividida.  Em muitas orquídeas simpodiais, o caule pode ser constituído por uma porção rasteira, o rizoma, e uma porção vertical engrossada, o pseudobulbo. Nas monopodiais, o caule é alongado, não existe rizoma ou pseudobulbos.

Critérios Para a Multiplicação das Orquídeas

Para começar, o primeiro critério básico para faze a multiplicação de uma orquídea é que ela apresente crescimento simpodial. O que significa, o termo botânico, que a planta deve crescer lateralmente, das gemas localizadas na base e não nas terminações. Pode citar como exemplos de orquídeas que crescem dessa forma: as catleias e as laelias. Além disso, as orquídeas cespitosas, exemplos: dendróbios e cimbídios.

A orquídea monopodial pode ser dividida?

Não! As orquídeas monopodial não precisam ser divididas porque não tem rizoma ou bulbo. Somente as orquídeas de crescimento simpodial e desde que a planta tenha 6 pseudobulbos ou mais.

A Phalaenopsis e a Vanda têm crescimento monopodial, ou seja, seu crescimento é vertical (para cima). Já as orquídeas do gênero Cattleya, Laelia e Oncidium têm o crescimento simpodial. Isso quer dizer que, crescem no sentido horizontal (para os lados).

A Phalaenopsis precisa ser trocada de vaso?

Não! O crescimento dela é para cima, então, depois de adulta, nunca precisará trocar de vaso. Somente enquanto é “filhote”, trocará de vaso, depois que chegar ao seu tamanho adulto, o transplante deverá ser só de substrato e nunca de vaso.

Só deverá ser feita a troca, caso o vaso esteja danificado, mas se for o caso, trocará por outro vaso do mesmo tamanho.

Troca de vaso: Essas orquídeas devem ser trocadas de vaso a cada 2 ou 3 anos em média. Na troca de vaso, remova as raízes mortas manualmente e replante no mesmo vaso com substrato novo. Aprenda a trocar o vaso das orquídeas.

Propagação: Alguns brotos podem surgir logo após a floração terminar, na haste floral, sendo eles chamados de keikis. Deixe o broto lá até que ele crie raízes e desenvolva pelo menos 2 folhas. Retire o broto da planta deixando 3 cm de haste de cada lado e plante-o em outro vaso. Veja aqui o nosso guia para o plantio de orquídeas. A haste deixada no broto serve de suporte para a nova planta no novo vaso.

E a Vanda, precisa ser trocada de vaso?

Da mesma forma que a Phalaenopsis, a resposta é não. Uma Vanda adulta ficará em seu cachepô enquanto ele estiver em boas condições.

Somente em casos de mudas que ela trocará para cachepôs maiores conforme seu crescimento.

Após o longo florescimento, ela pode levar alguns anos para florescer novamente.

E as de crescimento simpodial, quando devem ter seus vasos trocados por vasos maiores?

Somente os gêneros de crescimento simpodial podem trocar para vaso maiores, mas isso só deve acontecer quando a planta estiver muito grande para o vaso. Quando me refiro a “grande”, não falo da altura das folhas, mas da quantidade de pseudobulbos no vaso e o espaço que eles ocupam.

Deverão ir para vasos maiores, somente quando estiverem assim:

Ou seja, ocupando toda ou quase toda a borda do vaso.Isso demora alguns anos para acontecer. Somente quando a planta começa a sair pelo vaso, é hora de substituí-lo por um vaso maior.

Lembre-se sempre que, a orquídea gosta de estar apertadinha no vaso. Se você quiser, pode aproveitar quando elas estiverem assim, para fazer mudas.

Nesse tamanho, você pode escolher por replantá-las em vaso maior, ou então dividí-las.

Como fazer para dividir ou replantar uma orquídea

  1. Primeiro esterilize a tesoura. Só faça a divisão depois da florada, para que ela possa se desenvolver normalmente sem abortar a floração. Retire a palha para evitar fungos e pragas.
  2. Depois retire a planta do vaso, retire o excesso de substrato. Limpe as raízes, não precisa lavar para não matar os microorganismos naturais da planta. Se a raiz estiver muito comprida corte pela metade.
  3. Para retirar a planta do vaso antigo, aperte o vaso para soltar a planta, retire do vaso antigo. Retire o substrato antigo, limpe as raízes sem lavar e corte as raízes pela metade se for necessário.
  4. Pegue um vaso pequeno, as orquídeas gostam de vasos pequenos. Se ele não vier com furos faça os furos laterais para drenagem da planta. Ou se conseguir compre o vaso especial para orquídeas que já vem com furos laterais.
  5. Coloque 20% de pedra brita ou isopor no final do vaso para drenar. Depois pinus e substrato perto das raízes. Para fixar pode colocar pedra por cima.
  6. Se for usar carvão novo, deixe de molho na água, retire e enxágue depois use. Se for carvão usado da churrasqueira não precisa. Faça o mesmo com as cascas de pinus, deixe de molho antes de usar.
  7. Cuide para deixar o rizoma fora do substrato, não deve cobri-lo.
  8. Na hora de dividir precisa separar pelo menos de 3 a 4 bulbos para que ela possa se multiplicar novamente.
  9. Lembre-se que o rizoma não deve ser enterrado e sim sobreposto ao substrato que foi escolhido.  O que significa que a orquídea precisa ficar solta dentro do vaso, esse é o modo correto de replantá-la. Para que ela fique firme, use arame ou bambu para amarrá-la ao tutor, mas sem apertar exageradamente.

Mais dicas e perguntas e respostas sobre como dividir ou replantar uma orquídea

Obrigatoriamente preciso dividir a orquídea antes de reenvasá-la?

Não! Isso depende do gosto de cada um.

Particularmente gosto de vasos cheios, só quando está super-lotado de pseudobulbos é que faço a divisão.

Qual é a época ideal para a divisão e obtenção de mudas?

O ideal é após a queda das flores. É nessa época que a orquídea entra no período de descanso, chamado período vegetativo.

A pergunta é, qual é o momento de dividir uma orquídea?

A orquídea para ser dividida deve ter pelo menos 3 pseudobulbos.

Os pseudobulbos devem estar muito bem desenvolvidos.

A orquídea precisa ter ainda pelo menos dois brotos guias com boa distância entre eles. (Isso garante que cada nova muda que for conseguida terá pelo menos 3 pseudobulbos)

Qual é o principal cuidado que devo ter?

Cada novo exemplar deve ter pelo menos 3 pseudobulbos! É importante estar atento ao número de pseudobulbos que ficarão para cada divisão. Não se deve dividir a planta e deixá-la com menos de três pseudobulbos.

O principal cuidado é separar 3 bulbos para o replantio ou para divisão da planta. Na verdade existem três grandes cuidados importantes para o sucesso da divisão do exemplar: raízes, número de pseudobulbos e materiais usados.

Mas, atenção: caso sobre mais pseudobulbos, digamos 2, não tente fazer uma nova muda. O procedimento correto é cortar a orquídea fazendo com que os pseudobulbos acompanhem aquelas mudas que deverão ser formadas. Não tente fazer uma muda a mais para não prejudicar a sua planta.

Na hora de dividir a orquídea, tenha em mente que, preservar ao máximo as raízes da sua orquídea, é um fator importante para que ela se adapte a nova condição.

Lembre-se que, sempre que for manipular sua orquídea, deverá usar instrumentos esterilizados.

Você pode fazer a esterilização, deixando o instrumento 30 minutos imerso no cloro ou 20 segundo na chama do fogão.

Esterilizar o material de trabalho é garantir que fungos, vírus e bactérias não irão se alojar no seu exemplar.

Mas por que não posso deixá-la com menos de 3 pseudobulbos?

Uma orquídea com uma quantidade inferior a três pseudobulbos estará muito vulnerável e possivelmente demorará mais de dois anos para florir.

Enquanto que, o exemplar que estiver com 3 pseudobulbos ou mais irá florir em um ano, ou no máximo dois anos.

E se ela estiver com muitas raízes ou com raiz grande?

Como falei anteriormente, é preciso preservar as raízes para garantir uma boa recuperação da planta, mas no caso de exemplares com um sistema radicular muito vasto, pode ser feito uma limpeza nas raízes mais velhas, secas ou podres.

Isso é válido para aqueles casos em que as raízes ocupam quase o vaso inteiro, não deixando quase espaço para o substrato.

E vale ressaltar que só deverão ser retiradas as raízes mais antigas, secas ou podres.

O que devo retirar quando estiver limpando?

Se sua planta estiver com pseudobulbos secos e murchos, corte-os. Sempre devemos aproveitar a época de transplante para retirar as partes desnecessárias da orquídea, ou seja, todas as que estiverem secas e mortas.

Agora é só plantar?

Não! É importante limpá-la, de preferência sem água, mas pode fazê-lo se a raiz da planta estiver muito suja, então faça isso em água corrente, com auxílio de uma escova de dentes com cerdas macias.

Esfregue principalmente as folhas e pseudobulbos. Agora sim, sua planta está pronta para o transplante de vaso.

Como escolher o tamanho do vaso?

Observe estes dois exemplares. Eles estão no vaso adequado. Há espaço para o crescimento da orquídea, mas não há muito espaço sobrando. Mas é assim mesmo, elas gostam de ficar apertadinhas.

Foto via: Pinterest

Cuidado com o substrato da orquídea

Após a escolha do vaso para orquídea, coloque no fundo algo que drene a água, como brita ou argila estendida, encontrados facilmente em lojas especializadas. Isso fará com que o vaso não acumule água parada, fator que pode prejudicar as raízes. Depois desse procedimento, você já poderá colocar o substrato até a borda superior do vaso, fazendo com que a planta fique na superfície.

Deixe sua orquídea segura

Para que sua orquídea tenha um bom desenvolvimento, ela precisa se sentir segura no local onde está. Portanto, se certifique se a planta não está balançando dentro do vaso, ela precisa estar bem fixada ao substrato.

A cada um ano e meio ou dois anos é importante trocar o substrato, pois ele acaba ficando ácido e sem nutrientes para alimentar a planta.

Regar a orquídea depois do replantio

Após essa troca, regue bem sua orquídea e não se esqueça de adubá-la uma vez a cada 15 dias, fator importante nesse processo de readaptação. Adubação uma vez por mês é recomendado para orquídeas que não estão em fase de crescimento ou que já passaram a fase pré-floração. Não pode molhar as raízes a não ser para retirar alguma praga como formiga ou se for preciso na hora de fazer a mudança de vaso.

Mais Dicas de Divisão de Orquídeas

  • O momento certo para dividir as orquídeas já falamos qual é, em relação a como elas se apresentam. Agora pensamos em momento do ano.
  • Se a pergunta é, posso dividi-las em qualquer época do ano?  A resposta é sim. Porém, fique de olho nas particularidades da espécie que foi escolhida.
  • O mais importante é esperar para ver aquelas pontinhas verdes (que são novas raízes) começarem a nascer. Neste momento, seja calor ou frio, pode começar a dividir as suas orquídeas.

Depois de Replantadas Fique de Olho nos Sinais

  • Se as folhas ficarem amarelas: a planta está tomando sol em excesso
  • Se as folhas ficarem um verde muito escuro: elas estão ficando demais na sombra.
  • Regue normalmente e não tenha pressa porque a enraização é lenta mesmo.

Fonte de pesquisa: cynthiablanco.blogspot.com.br e Orquidário Orquídea & Jardim

Veja como dividi e replantei minhas orquídeas…

Como vocês podem ver pela foto a minha orquídea cattleya estava em um vaso grande (e não apropriado), mas estava cheia de mudas e como fazia mais de um ano que eu não mudava o substrato resolvi replantá-la. Fiz os procedimentos que já expliquei acima e também pelas fotos. Depois replantei em vasos e também em um pedaço de tronco bem lindinho 🙂
A outra muda que plantei direto na árvore eu havia ganho da minha sogra, ai coloquei apenas um pouco de musgo para dar umidade inicial e ela está linda! Agora é só dar flores. 🙂

Ela está um pouco desidratada, devido ao calor do final do ano passado, mas já estou cuidando dela, coloquei em um ambiente mais adequado do que na varanda sobre o telhado que esquenta muito e ela está se recuperando.

Assim que as mudas florescerem voltarei mostrando as fotos, mas vamos falar na próxima matéria de como adubar as orquídeas. Elas precisam de adubo de nutrição entre outros. Aguardem!

Espero que tenham gostado da matéria, deixe o seu comentário e obrigada pela visita 🙂

 

Veja também:

4 dicas para cuidar das orquídeas no verão

Como cultivar orquídea Cattleya

 

Veja também

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *