Compartilhe:

Como ter uma barriga de tanquinho e fugir das doenças e ficar em forma para o verão!

Uma barriga tanquinho vai além da beleza, ela evita doenças e te deixa preparado (a) para o verão, confira!

Publicado por: Cida Ramos

barriga-chapada1

Para ter músculos aparentes em sua barriga, terá que colocar três coisas em sua rotina: uma boa dieta, exercícios abdominais e atividade aeróbica. A primeira e a última te ajudam a evitar ou queimar as gordurinhas que se acumulam perto da cintura, enquanto os exercícios constroem os músculos para você exibir quando estiver mais, digamos, sequinho. Vou passar algumas dicas para você chegar lá.

Passo 1: acabe com a gordura (na sua dieta) Não adianta passar horas e horas na academia fazendo abdominais se a sua barriga não vai deixar os músculos aparecerem. E nem pense que dá para reduzir a gordura só de um ponto do corpo, como a barriga. O primeiro passo para uma barriga sarada é cuidar do que você come: corte gorduras (em especial as ruins), controle os carboidratos (sem nóia extrema, mas também sem exageros) e capriche na proteína. Aposte também em vegetais folhosos e fibras. Quem pode nos dizer mais sobre este assunto é a nossa nutricionista (super fofa) Lara.

Passo 2: queime a gordura (do seu corpo) Fechar a boca ou, melhor dizendo, controlar a sua dieta, é 30% do caminho. Outros 40% são a sua capacidade de queimar gordura. Isso você consegue, principalmente, com exercícios aeróbicos. Isso significa, sim, fazer mais do que aqueles 10 minutos regulamentares de aquecimento na esteira. Para fazer alguma diferença, você precisa treinar no limite de esforço (um teste espirométrico e um bom professor de educação física te ajudam a definir isso) por tempo suficiente para queimar gordura. Ao mesmo tempo, você precisa garantir que a sua dieta (lembra-se do passo 1?) tem energia suficiente para repor o que você gasta, em especial em proteínas e carboidratos complexos, e deixa você queimar gordura. E aí vale o alerta: passar fome, nestas horas, não ajuda em nada – só arrisca você perder músculos. Músculos, aliás, ajudam bastante na queima de gordura. Quanto mais músculos você tiver no corpo, naturalmente mais energia você irá queimar por dia (músculos consomem mais energia que gordura, por exemplo), o que significa que você, simplesmente ao controlar a alimentação e fazer musculação, estará automaticamente perdendo gordura.

Passo 3: construindo o tanquinho É claro que os exercícios não iam ficar de fora. Se você está conseguindo secar o seu corpo com os passos 1 e 2, também precisa garantir que vai ter o que mostrar quando a camada de gordura for embora. Para isso, os clássicos abdominais têm que ser feitos, mas não só eles. Os músculos abdominais são divididos em três grupos, na verdade: superiores, inferiores e oblíquos.

Você precisa ter um programa de treinamento que garanta que cada um deles seja exercitado, da mesma forma que para você exercita o bíceps e o tríceps quando quer um braço forte.

1. Abdominal 90 graus: Deite de barriga para cima, joelhos flexionados formando um ângulo de 90 graus com os pés para cima, mãos atrás na cabeça, cotovelos abertos. Lentamente suba, tirando os ombros do chão. Pare e desça ate a posição inicial. (15 a 20 repetições)

2. Elevação: Coloque as mãos sob as nádegas e mantenha as pernas estendidas em direção ao teto, perpendiculares ao tronco. Retire o quadril do chão, numa linha reta. Pare e desça. (10 a 15 repetições)

3. Abdominal negativo: Sente-se com os joelhos flexionados e mantenha uma distancia entre os pés similar a largura dos ombros. Estique os braços. Comece com o tronco numa posição ligeiramente menor que 90 graus em relação ao chão. Desça. Quando a parte superior do corpo atingir um ângulo de 45 graus em relação ao chão, retorne a posição inicial. (10 a 15 repetições) Repita este processo três vezes. Se for se tornando fácil na segunda semana aumente 5 repetições em cada um dos exercícios. Algumas dicas coisas para lembrar, também, são:

* Expire quando você estiver contraindo o músculo e inspire quando estiver relaxando.

* Não adianta fazer milhares de repetições por dia. É muito melhor fazer séries mais intensas (prestando atenção ao que está fazendo e indo com calma, para os músculos se exercitarem) do que correr para fazer várias repetições que só vão servir como “trabalho aeróbico”Cuidado com o pescoço. * Nos exercícios que envolvem elevação do tronco, use as mãos para e alinhe os ombros para garantir que você não está sobrecarregando a sua coluna e o pescoço. * Você pode treinar abdominais todos os dias, desde que varie os grupos trabalhados (e assim dê as 24 horas de repouso para cada grupo). Faça superiores um dia, oblíquos e inferiores no outro, ou como preferir.

OUTRAS DICAS

1- Esqueça os abdominais “É uma notícia chata, mas abdominais não queimam gordura, apenas tonificam a musculatura da barriga. Portanto, quem é gordinho, pode esquecer!”, desanima o diretor da rede carioca de academias A!BodyTech, Eduardo Netto. O abdominal trabalha a musculatura interna, que fica debaixo da gordura da barriga. É por isso que, por mais que se dedique à série do professor de localizada, o efeito parece inexistente. Mas o esforço não é em vão. “Apesar de não ter benefício estético, o exercício fortalece a musculatura do abdômen, muito importante para auxiliar o movimento dos quadris, o parto e até os movimentos intestinais”, cita Eduardo.

2- Intradermoterapia A técnica, originalmente francesa, nada mais é do que o nome moderno da mesoterapia. Consiste na aplicação de substâncias queimadoras de gordura na região, através de agulhas finíssimas. “A formulação utilizada vai depender da idade e do estado da paciente. Mas todas servem para quebrar a gordura localizada”, explica Dra. Márcia d’El-Rey, especialista em medicina estética. Dra. Márcia deixa claro que, por melhor que seja o tratamento, ele não faz milagres. “Nenhuma substância é tão maravilhosa a ponto de ter o efeito de uma lipoaspiração.

Não servem para retirar grandes quantidades de gordura, e sim para acabar com a gordurinha localizada, que não sai nem com malhação”, diferencia. No spa do salão Fashion Clinic, no Rio de Janeiro, uma sessão de intradermoterapia custa R$ 120. 3- Gás carbônico nela! É isso mesmo que você leu. Trata-se da carboxiterapia, um novo tratamento no combate à gordura localizada. A médica especializada em medicina estética Adriane Ferrarese, que utiliza a carboxiterapia na clínica paulista Time to Spa, explica o procedimento. “Em cada sessão, são aplicadas cinco ou seis injeções de gás carbônico no tecido celular subcutâneo. O CO2 acelera o metabolismo celular, ajudando a queimar a gordura, além de diminuir a celulite. Para quem não suporta picada de agulhas, e, portanto, foge da mesoterapia, a carboxiterapia é uma alternativa”, diz a médica.

O tratamento exige de 15 a 20 aplicações, podendo ser feito até três vezes por semana. Durante as aplicações, nada de sol! As picadas podem deixar marcas. Na Time to Spa, a sessão sai a R$ 130. 4- Olha a postura, menina! Dê só uma olhada nas passarelas. Tudo bem, elas são lindas, mas o jeito de andar ajuda, e muito. Basta ficar atenta à coluna. “Reeducação postural é fundamental. Algumas mulheres nem têm tanta barriga, mas andam com o abdômen solto. Acaba parecendo maior do que é”, diz a especialista em medicina estética Carla Góes Sallet, autora do recém lançado “Belíssima – Aos 40, 50, 60, 70…” (Editora Conex). Acha que é frescura? “Corrigir a postura não é apenas uma questão estética, mas também de saúde. Além de dar uma aparência melhor, evita futuros problemas de coluna”, afirma Dra. Carla.

E a barriguinha vai pro espaço! 5- Emagreça! Você está satisfeita com seu corpo, no entanto, aquele pneuzinho cisma em sair por cima do cós da calça? Não tem jeito. É preciso fechar a boca. “Para emagrecer na barriga, só emagrecendo como um todo”, afirma Eduardo Netto, diretor da rede de academias A!BodyTech. Isso acontece porque, mesmo que você exercite uma determinada região do corpo, seu organismo vai utilizar a gordura que estiver mais fácil de ser quebrada para compensar o déficit de energia. “Essa constatação ocorreu após a comparação dos dois braços de um tenista. Mesmo fazendo muito mais esforço com um dos braços, o percentual de gordura neles era o mesmo. O que muda é o volume, mais nada”, revela Eduardo.

6- Pelos poderes dos cremes! Perder barriga sem malhar, fazer dieta ou qualquer outro esforço? Sim, é possível. Mas, como nada é perfeito, prepare a carteira: pesa no bolso. São os dermocosméticos, a geração superpoderosa de cosméticos que chegou para ficar. Encontrados nas grandes redes de farmácia, possuem princípios ativos estimulantes como a cafeína. Em formato de gel ou fluido, são capazes de reduzir consideravelmente a circunferência da barriga, como é o caso do Concentrado Lipo-redutor Elancyl (Pierre-Fabre), do Gel Redutor Bio-Médicin (Bio-Médicin) e do Liposyne (Vichy). Os preços ficam entre R$ 50 e R$ 150 (suficiente para duas semanas, mas se aplicado apenas sobre a barriga, dura mais). As preguiçosas agradecem.

7- Corra! Se para emagrecer a barriga é preciso emagrecer como um todo, a solução é suar! E, para queimar, nada como uma boa corrida. “A corrida é um dos mais completos exercícios aeróbicos. Ela ajuda a diminuir o percentual de gordura do corpo todo e, consequentemente, da barriga”, explica Eduardo Netto. Em um bom ritmo, uma hora é capaz de dar cabo de nada menos do que 800 calorias. Está bom ou quer mais? 8- De olho na alimentação Determinados alimentos aumentam a região abdominal. Aproveite-se desta informação, fazendo da alimentação uma aliada na hora de acabar com a barriga. “É o caso dos carboidratos e doces, que devem ser evitados. Já à noite, nada de proteínas. Quando você come carne antes de dormir, aquilo fica lá, fermentando. Acredito no velho ditado que diz que o café da manhã deve ser farto. As refeições seguintes vão sendo reduzidas gradativamente”, explica a médica Carla Góes Sallet. 9- Aprendendo a beber Se por um lado é necessário maneirar no apetite, a água deve ser consumida em excesso. “A água auxilia o bom funcionamento do intestino. Quanto mais, melhor. Já as bebidas com gás não ajudam em nada. Como o próprio nome informa, o gás causa flatulência e, portanto, dilatação do abdômen”, informa Carla Sallet. Pior do que isso, só mesmo a cervejinha.

Ela é a responsável pela temida barriguinha de chope. “Digo para minhas pacientes que uma cervejinha de vez em quando não faz mal. O problema é que nunca é só uma”. Além de engordar, a cerveja dilata a região, causando distenção do estômago. Uma saída é trocar a cerveja pelo vinho, de preferência branco. 10- Manthus Dentre os muitos tratamentos de redução de medidas, o Manthus é novidade. “A vantagem é que ele trabalha uma região específica do corpo, e isso sem dor!”, comemora Dra. Carla. O Manthus nada mais é do que um cabeçote com cinco pontos de ultra-som, que descarregam três megahertz. Enquanto uma esteticista trabalha a região com movimentos circulares, a descarga alcança a camada de gordura, quebrando-a. Um gel com substâncias lipolíticas é aplicado na região, para intensificar os resultados.

Fontes:Globo.com / Ego / 10em1 Blogspot / Bolsademulher.com /atribunamt.com / Obesidadeonline

Recomendado para você

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *