Compartilhe:

Cuide-se durante férias de verão: Barriga pode causar enfarto , AVC ou Diabetes, Demência entre outras doenças

Se você está de férias e está fora do peso, cuidado com os exessos durante as férias. Muitas pessoas podem sofrer infartos, Avc entre outros males principalmente nesta época. Confira!

Publicado por: Cida Ramos

perder-barriga

Ter barriga sarada não é mera questão estética. Ter barriga saliente é um risco à saúde! Não é de hoje que a gordura corporal é encarada como uma das principais responsáveis por uma série de doenças, que vão desde infarto e problemas na coluna a alteração nos níveis de colesterol e aumento no risco de derrame e câncer.

No entanto, a maneira como essa gordura está distribuída pelo corpo é tão preocupante quanto a simples presença dela. Estudo publicado no último dia 26 na edição online da revista “Neurology”, da Academia Americana de Neurologia, aponta que a concentração de gordura na barriga (obesidade abdominal) aumenta o risco da pessoa desenvolver algum tipo de demência, entre elas o mal de Alzheimer. Além disso, o peso da barriga pode provocar problemas na coluna, no joelho e no tornozelo. Por causa do excesso de gordura, há ainda o risco de se desenvolver hipertensão arterial – o grande vilão dos acidentes vasculares -, diabetes e deficiência no sistema circulatório, que pode levar à isquemia cerebral.

A obesidade abdominal, também conhecida como a barriga “de cerveja”, no caso dos homens, é uma das mais danosas para o corpo humano. O perigo decorre da proximidade dessa gordura com órgãos vitais do organismo, como fígado, intestino, rins e pâncreas. De acordo com o cardiologista Plínio de Almeida Barros Neto, 31 anos, atualmente, cerca de 60% dos brasileiros adultos têm acúmulo de gordura na cintura acima do limite permitido. Para checar esse limite, a melhor ferramenta continua sendo a fita métrica. Medir a circunferência da cintura é um bom e confiável parâmetro para avaliar o tamanho do risco que o acúmulo de gordura representa.

Segundo tabela da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), se a circunferência abdominal for maior que 102 centímetros, nos homens, é um sinal de que existe mais gordura do que o permitido no abdômen. Na mulher, a medida não pode ultrapassar os 88 centímetros. A circunferência pode ser medida passando uma fita métrica na linha do umbigo, com o tórax sem roupa. O estudo divulgado pela “Neurology” no último dia 26, mostra que quanto mais gordura acumulada nessa região por volta dos 40 anos, maior é o risco da pessoa desenvolver algum tipo de demência quando ela tiver 70 anos, aproximadamente.

De acordo com o neurologista Laertel Fassoni, 66 anos, a demência é provocada, entre outros fatores, por deficiência na circulação sangüínea e conseqüente falta de oxigenação no cérebro. Ele explica que quem é gordo ou tem uma barriga avantajada normalmente tem dislipidemia (aumento anormal da taxa de gordura no sangue) e isso vai entupindo as artérias. Como conseqüência, o bombeamento de sangue pelo corpo, especialmente na cabeça, torna-se deficiente, o que aumenta muito a probabilidade de ocorrências graves, como isquemia (diminuição do fluxo sangüíneo numa determinada região do corpo), derrame e mal de Alzheimer.

Ter barriga saliente além do normal aumenta o risco de demência mesmo que a pessoa não seja obesa. Quando se analisa os “barrigudos” com sobrepeso, constata-se que a probabilidade de eles desenvolverem demência é 3,6 vezes maior do que as pessoas com peso e medida abdominal normais. Isso mostra que não é necessário ser obeso, ou mesmo estar acima do peso, para correr sérios riscos de saúde. É preciso apenas ser barrigudo. Quanto maior a circunferência abdominal – aquela que se mede sobre o umbigo – maior a propensão para doenças cardiovasculares, AVC e diabetes.

Já falamos da notícia ruim, vamos agora à novidade boa e que interessa também às mulheres. É que a ciência acredita finalmente ter encontrado uma pílula contra a barriga. Só que não é para todos e já está causando polêmica. O rimonabanto, ou a “pílula antibarriga” foi proibido nos Estados Unidos por aumentar os riscos de depressão e ansiedade. Mas está liberado na Europa desde 2006 e começa a ser vendido no Brasil esta semana. “O rimonabanto é um medicamento que age tanto a nível do cérebro, diminuindo o apetite diretamente por uma ação no centro da fome, mas também age no que a gente chama de periferia, no tecido adiposo, tecido gorduroso, principalmente esse tecido localizado na região abdominal”, É a primeira pílula que ao mesmo tempo pode atacar a obesidade, melhorar o HDL, o colesterol bom, e diminuir as chances de diabetes.

Quem pode e quem não pode tomar esse medicamento?

“Quem deve usar esse medicamento é o paciente que tenha indicação, paciente com obesidade ou sobrepeso que tenha doenças associadas ao sobrepeso. Pessoas que tenham excesso de peso sem nenhuma doença associada, geralmente o indivíduo pode não ter efeito nenhum. Vai perder tempo, dinheiro e pode ter efeitos colaterais. Então, a gente não recomenda o uso para fins estéticos e em pequenos excessos de peso”, explica Luciana Bahia, endocrinologista – UERJ. Uma coisa é certa: seja pela saúde ou simplesmente pela estética, não há como perder a barriga sem seguir a fórmula dieta saudável e exercícios físicos.

Mas atenção: não é qualquer exercício. “Abdominais não vão reduzir nem uma grama da sua gordura do abdômen”, afirma o urologista. Para queimar gordura, inclusive a da barriguinha, só com exercícios aeróbicos. “Pedalar, nadar, correr, caminhar”, indica o urologista.

Fontes:Globo.com / Ego / 10 em1 Blogspot / Bolsademulher.com /atribunamt.com / Obesidadeonline

Recomendado para você

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *