Compartilhe:

Festa de casamento: Veja como economizar sem perder a classe

Especialistas em casamentos dão ideias para fazer a festa caber no seu bolso sem abrir mão da elegância Você poderá gostar de:Coctel de casamento – Como organizarCasamento – Dicas para economizar na festaFesta casamento – Saiba Como organizar um BrunchCasamento: Recepção – Jantar Completo Não importa o tamanho do orçamento dos noivos, a verdade é […]

Publicado por: Cida Ramos

8um47kv8g2erqoedy8h8henr5

Especialistas em casamentos dão ideias para fazer a festa caber no seu bolso sem abrir mão da elegância

Você poderá gostar de:
Coctel de casamento – Como organizar
Casamento – Dicas para economizar na festa
Festa casamento – Saiba Como organizar um Brunch
Casamento: Recepção – Jantar Completo

Não importa o tamanho do orçamento dos noivos, a verdade é que sempre parecerá insuficiente para o casamento dos sonhos. Os valores individuais de cada serviço podem não parecer tão altos, mas são tantos que, somados, assustam e desanimam aqueles que anseiam em subir ao altar. 

Porém, não é preciso abrir mão de da elegância para fazer com que o evento dos sonhos caiba no bolso. Com um pouco de criatividade e jogo de cintura, é possível economizar nos detalhes e diminuir bastante a conta final. Se não dá para fazer um jantar completo para 300 convidados, que tal optar por um brunch bem servido para o mesmo número de pessoas, em vez de cortar pratos do jantar e escolher bebidas mais baratas (e de menor qualidade)? Veja algumas ideias de especialistas em organização de casamentos.

 No cardápio 

Um dos itens que mais pesam no orçamento, o buffet, é também um dos que tem maior margem de variação de preços. Isso porque existe muita variedade de tipos de serviço. Um coquetel de fingerfoods ou menu degustação, em que os convidados comem pequenas porções de pratos sofisticados, por exemplo, é muito mais econômico e moderno que um jantar completo. 

Até uma recepção estilo bolo e champanhe pode ser super sofisticada, sem, porém, pesar no bolso. “Neste caso, a noiva pode incluir uma bela mesa com doces caramelizados e os deliciosos bem-casados”, aconselha a consultora Vera Simão. “Para beber, champanhe, vinho espumante, uísque, refrigerante, água natural e com gás. Se os convidados são apreciadores de cerveja, inclua a bebida, bem gelada, no cardápio”. 

Outro truque é optar por pratos e ingredientes mais em conta. “A brasilidade explorada hoje em alimentos acaba ajudando muito a otimização de custos”, conta Marion Ruggeri, proprietária do buffet Santa Especiaria. 

Tamanho da festa 

O número de convidados é fator decisivo para o orçamento do casamento. Quanto mais sucinta a lista, menos se gasta com buffet, decoração, lembrancinhas e mais verba sobra para caprichar nos detalhes.

 Os mini weddings, por exemplo, podem sair pela metade do preço de um casamento tradicional, ainda que tenham as mesmas características, apenas pelo fato de ter menos de 100 convidados. 

Data, horário e local

 Alguns dias e horários são mais disputados por noivas e, portanto, mais valorizados. O aluguel de um salão no domingo à tarde ou na sexta à noite pode chegar à metade do preço da locação para sábado à noite. 

A escolha do local também é importante. Um ambiente lindo pede menos decoração. Foi a opção de Ana Lucas Lion, que elegeu a sede da Associação dos Procuradores Públicos de São Paulo, um salão com piso de mármore e iluminação elegante. Para decorar, comprou vasos, copos-de-leite e folhas de fícus no Ceasa e convocou suas madrinhas para montarem os arranjos de mesa. Tudo saiu por R$ 500. 

Atenção aos preços de flores, que variam muito de acordo com a época de cada espécie. Então, independentemente da data do casamento, sempre haverá flores mais em conta.

 

Negociação 

Programar-se financeiramente também faz diferença. “Vale à pena poupar para, ao negociar, pagar à vista”, ensina a assessora de casamentos Márcia Possik, da Mariages. “Muitos profissionais dão descontos excelentes”.

 Dica de ouro: quando for pedir orçamentos, não revele de cara que se trata de um casamento. A diferença dos valores em relação a outros eventos é gritante. Se depois de descobrir sua intenção, o fornecedor voltar atrás e quiser cobrar mais, “é porque ele não tem ética profissional e não deve ser contratado”, diz Márcia. 

 

Fonte:www.delas.ig.com.br

Recomendado para você

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *