Compartilhe:

Mesmo em pequenos espaços é possível se fazer um jardim

Pequenos espaços, grandes jardins Não é preciso morar num sítio ou em uma área ampla para ter um pouco de natureza ao redor Não é preciso morar numa área ampla para ter um jardim verdejante ao alcance das mãos e dos olhos, mesmo nos grandes centros urbanos. “Com a verticalização das cidades, surgiu uma demanda […]

Publicado por: Cida Ramos

8rj2r0j9jlnbtfbycmhkaixo0

Pequenos espaços, grandes jardins

Não é preciso morar num sítio ou em uma área ampla para ter um pouco de natureza ao redor

Não é preciso morar numa área ampla para ter um jardim verdejante ao alcance das mãos e dos olhos, mesmo nos grandes centros urbanos. “Com a verticalização das cidades, surgiu uma demanda para o paisagismo em pequenos espaços, principalmente em apartamentos. Além das sacadas, recorremos aos vasos para alegrar os ambientes internos”, dizem as paisagistas Luciana e Ana Clarissa Wolff.

Nos canteiros, Luppi optou por palmeira-ráfia (esquerda), pleomele (direita, ao fundo) e bambus-mossô (direita)

Aparentemente quanto menor o projeto, menos trabalho. Mas não é bem assim, pois desenvolver soluções para espaços reduzidos pode ser mais complicado do que se imagina. “O maior desafio é trazer a estética sem tirar a funcionalidade do local e não deixá-lo intransitável”, afirma o paisagista Eduardo Luppi.

 

Para que a iniciativa não seja frustrada é essencial tomar alguns cuidados básicos. O primeiro deles é a seleção das espécies corretas, etapa fundamental para o sucesso da área verde. “Evite plantas com sistema radicular agressivo, como o Ficus benjamina, porque suas raízes crescem muito e quebram os vasos”, revela a paisagista Paula Magaldi.

 

Outro ponto determinante são as condições climáticas do local, principalmente insolação e ventilação. “É preciso verificar a incidência de luz natural para definir a disposição das plantas e dos espaços. O mesmo ocorre com a intensidade de ventos, uma vez que elas têm capacidades de resistência diferentes”, ensina o paisagista Sergio Santana.

 

Aproveite bem a área livre

 

Depois de escolher os exemplares, é hora de estudar as melhores alternativas para aproveitar a área disponível. Uma delas, de acordo com Paula, é optar por vasos altos. “Eles têm diâmetro menor e oferecem um visual impactante, além de destacar as espécies”.

 

Na lista de opções, ainda há espaço para prateleiras, jardins verticais e vasos dispostos na parede. “São boas sugestões para metragens enxutas, pois liberam espaço para a circulação”, conta Luppi.

 

Na decoração, vale apostar em detalhes, como bancos, futons, fontes e espelhos d’água. “Esses complementos fazem uma enorme diferença para compor a identidade do paisagismo. Mas lembre-se, eles precisam estar em sintonia com o estilo e a volumetria da casa”, diz Luciana.

 

E não esqueça de caprichar na iluminação, característica que valoriza o projeto. “Ela é fundamental, deve destacar a vegetação e clarear os ambientes criados de maneira adequada e confortável ao morador”, afirma Santana.

 

O próximo passo é olhar ao redor e identificar o local mais apropriado para receber o novo jardim. Afinal, plantas e flores são sempre bem-vindas em qualquer espaço, seja ele de grande ou pequena proporção.

 

Confira uma lista com as espécies recomendadas para espaços pequenos:

 

Agave

Alpínia vermelha

Aroeira

Asplênio

Ardísia

Azaleia

Babosa-de-pau

Bambu-mossô

Bela-emília

Buxinho

Calateia

Camélia

Chamaedória elegante

Clúsia

Dracena

Dracena-bambu

Eugênia

Estrelítzia

Flor-de-coral

Fórmio

Helicônia-pêndula

Ipê-de-jardim

Jabuticabeira híbrida

Lágrima-de-cristo

Lança-de-são-jorge

Lírio-da-paz

Maranta

Palmeira-fênix

Palmeira-ráfia

Palmeira-véitia

Pândano-rasteiro

Pata-de-elefante

Papiro

Pleomele

Plumeria

Romãzeira

Nas fotos e pela ordem:

Eduardo Luppi integrou na paisagem murta, barba-de-serpente, bambu-mossô, grama-preta anã, buxinho e azaleia-anã

O jardim ganhou um painel de madeira cumaru, dois vasos que servem como espelhos d’água e uma dupla de charmosas lanternas

Destaque para o espelho d’água e a palmeira-fênix (direita)

A estante escolhida por Luppi acolhe um grande número de vasos e diversas espécies

Ervas aromáticas foram dispostas sobre a bancada, desenvolvida para esconder as unidades externas do ar condicionado

Paula Magaldi combina a Yucca gloriosa com uma lanterna de bronze e um pequeno bonsai

Neste ambiente, Paula usa vasos alongados que realçam os pândanos

Jardim vertical com várias espécies elaborado por Paula

Paula usou patas-de-elefante em vasos de barro sobre cruzetas com pedriscos

No projeto, Sergio Santana usou plantas nativas do Rio de Janeiro para integrá-lo à natureza da Lagoa da Tijuca, que pode ser vista da casa

O espaço ganhou um ofurô revestido por pedras esculpidas e um espelho d’água ao redor

Entre as espécies utilizadas estão bromélias e orquídeas

Luciana e Ana Clarissa Wolff criaram um espaço com espécies resistentes e duráveis, como o mandacaru e o agave

 (Clique na foto para ampliar)

Fonte: Conteúdo do site IG-http://delas.ig.com.br/casa/

Recomendado para você

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *