Compartilhe:

Plásticas nos seios: Como ter seios à medida do seu desejo

Saiba tudo sobre a plástica nos seios

Publicado por: Cida Ramos

Saiba tudo sobre a plástica nos seios

Aumentar ou diminuir são duas possibilidades colocadas ao dispor pela cirurgia estética às mulheres que desejam sentir-se melhor com os seus seios.

Quer o objectivo seja aumentar quer seja diminuir, as técnicas cirúrgicas estão cada vez mais afinadas para conseguir resultados naturais com o menor desconforto possível.

AUMENTAR OS SEIOS: Próteses de silicone

Em que consiste

Na introdução de ‘bolsas' recheadas de silicone nos seios. "O corte para introdução da prótese é feito na zona de transição da parte escura do mamilo para a clara. As cicatrizes têm no máximo 4cm e, passado pouco mais de um mês, ficam quase imperceptíveis", explica o cirurgião plástico João Baptista Fernandes.

 

São seguras?

"Hoje, é uma técnica muito segura. Com o gel de silicone antigo, se houvesse uma ruptura da prótese e a pessoa permanecesse com ela durante algum tempo, podia fazer uma reacção inflamatória local, para além de se perder todo o efeito estético. Punha-se ainda a hipótese de que micropartículas transpusessem a parede da prótese e pudessem provocar doenças inflamatórias ou reacções adversas. Mas hoje temos o gel de silicone coesivo, que é muito resistente – poderíamos cortá-lo com uma faca e ele ficava no sítio. Apesar de não serem indestrutíveis, não é uma pancada numa porta, por exemplo, que as rompe."

 

O tamanho certo

"Normalmente, o cirurgião plástico aconselha o tamanho adequado para a estatura, largura do tórax e tipo físico da pessoa. Para além disso, costumo pedir que me tragam uma fotografia com um exemplo do volume de peito que estão a pensar para si. A maior parte das pessoas pede algo proporcional ao seu tipo físico."

Preço médio: 5500 euros

REDUZIR O VOLUME DOS SEIOS: Mamoplastia de redução

Problemas ortopédicos ou posturais, obesidade, entre outros, podem levar à necessidade imperativa de reduzir o tamanho do peito.

Em que consiste

"É feito um corte na vertical, que parte da zona da auréola, e outro no sulco abaixo da mama, para se retirar o que está a mais", explica João Baptista Fernandes. A cirurgia é feita com anestesia geral e requer internamento de 24 horas.

 

Pós-operatório

A doente sai com pequenos pensos impermeáveis nas suturas. Durante um mês deve usar um sutiã especial, semelhante ao que é usado na cirurgia de aumento, e nos 15 dias seguintes não deve fazer grandes esforços, como pegar em pesos ou em crianças ao colo. Ao fim de oito dias pode conduzir.

Cicatrizes

Ao contrário da cirurgia de aumento, a de redução "deixa cicatrizes mais extensas e visíveis, mas que ficam bastante mais disfarçadas seis meses a um ano depois".

Preço médio: 6000 euros.

 

Pós-operatório

"A cirurgia obriga a um internamento de 24 horas, após as quais a paciente sai com um sutiã especial, que deve manter por duas semanas. Deve ter algum cuidado com esforços intensos, como desporto ou pegar em crianças ao colo, durante esse tempo. Mas as rotinas do dia-a-dia e o trabalho conseguem fazer-se 24 horas depois."

Fonte: /o-mundo-da-mulher-moderna.blogspot.com

Recomendado para você

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *