Compartilhe:

Turbine a sua dieta usando o óleo de coco

O óleo de coco é a mais nova descoberta para quem quer emagrecer. Ele que antes era tido como vilão nas dietas, agora está sendo visto por especialistas como um aliado até mesmo à saúde fortalecendo o sistema imunológico, confira!

Publicado por: Cida Ramos

oleo-coco-emagrecer-benef__cios-duvidas-capa

Se você tem dúvidas sobre o que é, e como o óleo de coco ele pode ajudar na sua dieta e saúde, confira esta matéria e saiba tudo sobre o óleo de coco e seus benefícios.

Para quem está querendo emagrecer de forma natural e saudável, nada melhor do que alterar seus hábitos alimentares e começar a praticar atividades físicas. Porém, como auxiliar na perda de peso, é sempre bom incluir algum alimento que realmente faça a diferença e ajude a pessoa na perda de peso. Hoje vamos falar de um desses alimentos, o óleo de coco virgem.

O que é o óleo de coco extra virgem?

O óleo de coco extra virgem é um produto natural de origem vegetal da espécie Cocos Nucifera. É prensado a frio, não é submetido ao processo de refinamento e desodorização, sendo extraído a partir do leite de coco por processos físicos, passando pelas etapas de prensagem e filtração.

É um alimento complementar com inúmeras propriedades benéficas para a saúde, proporcionando fortalecimento do sistema imunológico, facilitando a digestão e a absorção de nutrientes. Quando submetido a altas temperaturas, o óleo de coco extra virgem não perde suas características nutricionais, sendo considerado um óleo estável. É também considerado o mais saudável para cozinhar, não apresentando gordura trans gerada pelo processo de hidrogenação, que está presente em todos os óleos de origem vegetal, como os de soja, canola, milho e até o de oliva, que é considerado o óleo mais saudável.

São encontradas diversas substâncias no óleo de coco, entre elas os ácidos graxos essenciais e o glicerol, que é importante para o organismo – com ele o corpo produz ácidos graxos saturados e insaturados de acordo com suas necessidades. O óleo de coco extravirgem apresenta um alto índice de ácido láurico, mirístico e caprílico, entre outros. Segundo a Dra. Mary Enig, especialista em gorduras, o ácido láurico é um ácido graxo de cadeia média, que é transformado em monolaurina no corpo humano. A monolaurina é antiviral, antibacteriana e destrói vírus revestidos de lipídeos e diferentes bactérias patogênicas, incluindo a Helicobacter Pylori.

O óleo de coco extra virgem não é um medicamento, e sim um alimento complementar coadjuvante na prevenção de diversas doenças. Por isso, deve ser consumido diariamente para que o organismo obtenha uma reserva de ácidos graxos, presentes no óleo de coco.

A gordura que emagrece?

A dieta, em si, não difere muito das outras. A pessoa precisa ape­nas diminuir o consumo de carboidrato e incluir o óleo de coco na die­ta. “São três colheres da gordura ao dia — pura, derretida no preparo dos alimentos, no café-da-manhã (passada no pão). Fica a critério do paciente como ele vai usá-la, mas já é o suficiente para ele sentir os efeitos no organismo”, diz o cardiologista e nutrólogo Sérgio Puppin, que está prestes a lançar o livro Coco, a gordura que salva-vidas, esti­mulado pelo sucesso internacional do livro The Coconuí Diet, da ame­ricana Cherie Calbom, que nem chegou às livrarias e já é considerado um best-seller mundial.

Os benefícios do óleo de coco quais são?

O coco é um alimento subestimado na alimentação moderna. Trata-se primariamente de um alimento funcional. Alimentos funcionais são aqueles que promovem benefícios à saúde que vão além da simples função nutritiva. É exatamente o que o coco e seus produtos (coco desidratado e óleo de coco) são.

Como alimentos funcionais, eles provêem energia e matéria-prima para a construção de ácidos graxos que possuem ação antimicrobiana no organismo humano. Aproximadamente 50% da gordura do coco é composta pelo ácido láurico, um ácido graxo de cadeia média que, no corpo humano, é transformado em monolaurina, um monoglicerídeo que possui ação anti-viral, anti-bacteriana e anti-protozoária, usado pelo organismo para destruir a camada lipídica de vários microorganismos como HIV, herpes, citomegalovirus, influenza, Helicobacter pylori, Listeria monocytogenes, Staphylococcus aureus, Streptococcus agalactiae, estreptococos dos grupos A, F e G, Cândida albicans, Chlamydia, Neisseria ghonorreae, Giárdia, entre outros. Por outro lado, a monolaurina parece não exercer nenhum efeito sobre as bactérias colonizadoras do intestino, apenas em bactérias potencialmente patogênicas.

Seis a 7% dos ácidos graxos do coco são compostos pelo ácido cáprico, também transformado no organismo humano, a monocaprina, e também com propriedades antimicrobianas contra HIV, Chlamydia e herpes.

O óleo do coco extra virgem é livre de gordura trans e possui alto teor de ácidos graxos de cadeia média (ácido láurico), idênticos aos encontrados no leite humano.Além do mais, reduz o risco de doença cardíaca e coronariana, reduz o risco de câncer, regulariza o ritmo intestinal, ajuda a controlar o diabetes, aumenta os níveis de energia, melhora a digestão e absorção de nutrientes, aumenta o metabolismo, ajuda na perda de peso (ação “fat burner”), ajuda a prevenir a osteoporose, mantém a pele macia e previne o envelhecimento precoce.

Como ele age?

A gordura do coco leva à normalização dos lipídeos (gorduras) corporais, protege o fígado dos efeitos do álcool e aumenta a resposta imunitária contra fungos, bactérias e protozoários; também se mostrou benéfica no combate aos fatores de risco para doenças cardíacas. Uma dieta rica em óleo de coco não aumenta o colesterol e nem o risco de mortalidade ou morbidade por doença coronariana, uma vez que, tem a propriedade de aumentar a fração HDL do colesterol (“colesterol bom”).

Outros óleos vegetais são compostos basicamente de ácidos graxos de cadeia longa e armazenados no organismo como gordura corporal, ao contrário do óleo de coco, naturalmente usado como energia para o metabolismo.

Por esse motivo é recomendado o consumo do óleo de coco virgem, de preferência orgânico, que terá 100% de garantia de que não possui nenhum químico ou agrotóxico prejudicial à sua saúde.

O consumo

O óleo pode ser consumido de diversas formas: misturado a sucos, shakes e vitaminas, como tempero na salada, substituindo qualquer outro óleo na culinária, ou tomado puro. Se essa for a sua escolha, o recomendado é ingerir duas colheres de sopa do óleo puro por dia, uma pela manhã e outra no final da tarde.

Onde encontrar?

O óleo do coco pode ser encontrado em sua casa de produtos naturais de confiança. Certifique-se de que ele é virgem e se puder, também orgânico.

 

Fontes:http://www.oleodecoco.com / http://www.alimentacao-saudavel.com

 

Recomendado para você

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *